Resenhas

[Resenha] Millenium, A Menina que Brincava com Fogo – Stieg Larsson

Hoje venho falar de um dos melhores livros que li este ano. Muito provavelmente entrará na lista das melhores trilogias da minha vida!

IMG_20161012_144716894.jpg

“Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade”

IMG_20161012_151100432_HDR.jpgRaciocina Lisbeth Salander, protagonista de “A Menina que Brincava com Fogo”, de Stieg Larsson. O autor – um jornalista sueco especializado em desmascarar organizações de extrema direita em seu país – morreu sem presenciar o sucesso de sua premiada saga policial, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo.
Nada é o que parece ser nas histórias de Larsson. A própria Lisbeth parece uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo, que sabe atacar com precisão quando se vê acuada. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado em desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os praticados por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro. Um destes, o tutor de Lisbeth, foi morto a tiros. Na mesma noite, contudo, dois cordeiros também foram assassinados: um jornalista e uma criminologista que estavam prestes a denunciar uma rede de tráfico de mulheres. A arma usada nos crimes – um Colt 45 Magnum – não só foi a mesma como nela foram encontradas as impressões digitais de Lisbeth. Procurada por triplo homicídio, a moça desaparece. Mikael sabe que ela apenas está esperando o momento certo para provar que não é culpada e fazer justiça a seu modo. Mas ele também sabe que precisa encontrá-la o mais rapidamente possível, pois mesmo uma jovem tão talentosa pode deparar-se com inimigos muito mais formidáveis – e que, se a polícia ou os bandidos a acharem primeiro, o resultado pode ser funesto, para ambos os lados.

A menina que brincava com fogo segue as regras clássicas dos melhores thrillers, aplicando-as a elementos contemporâneos, como as novas tecnologias e os ícones da cultura pop. O resultado é um romance ao mesmo tempo movimentado e sangrento, intrigante e impossível de ser deixado de lado.

Leia a resenha do livro 1 – Os Homens que não Amavam as Mulheres

IMG_20161012_150440446.jpg

Preciso começar a resenha alertando que eu estou APAIXONADA pela Lisbeth! Minha linda, minha musa, minha ídola! ❤

No primeiro livro eu já gostava dela com aquele jeito antissocial. Em “A Menina que Brincava com Fogo” podemos conhecer melhor Lisbeth, bem como seu passado obscuro, rondado por “Todo Mal que Aconteceu”. Nos aprofundamos em sua personalidade, sua vida pessoal e seu jeito de pensar. Confesso que fui surpreendida diversas vezes por suas atitudes, que antes eram um pouco imprevisíveis. Agora compreendo a moral de Lisbeth e como ela pensa e age. Uma pessoa que passou por muitas coisas desde a infância e é uma pessoa maravilhosa! (o que são essas coisas você só descobre realmente no final do livro).

Começamos o livro com um relato de uma jovem de 13 anos, amarrada à cama, no escuro e em um lugar indefinido. Um homem vem visitá-la, falar com ela. Ela o recebe com repulsa, ódio e tenta agredi-lo, em vão. Ele vai embora, depois de ficar excitado ao ver a menina de camisola. Um relato que choca!

Depois conhecemos personagens novos inseridos na trama. Mia Bergman e seu namorado Dag Svensson investigam um dos maiores casos de comercio sexual da Suécia e pretendem denunciar várias autoridades envolvidas. Com a ajuda de nosso velho amigo Mickael Blomkvist eles pretendem publicar um livro que promete chocar todo o país. De repente, algo dá errado e o casal é brutalmente assassinado e Lisbeth é acusada do crime. Como? Você terá que morrer de curiosidade durante o livro para descobrir a resposta!

Depois de inserido o mistério do assassinato na trama, fiquei completamente imersa na leitura. Passei o dia do meu aniversário lendo o livro compulsivamente!  A cada nova revelação do passado de Lisbeth, sobre “Todo Mal que Aconteceu” e sobre o assassinato eu ficava mais chocada e curiosa. Agora estou louca para ler o último livro da trilogia.

Além de tudo A Menina que Brincava com Fogo é mais uma denúncia sobre os homens que não amam as mulheres. Abuso sexual de menores, violência, prostituição e poder. As pessoas nem sempre são como a mídia as revela e, de fato, “Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade”.

IMG_20161010_205555000.jpg

Deixo com vocês a dica desse super livro! Essa trilogia fantástica!


201312856130gO Autor

Stieg Larsson (1954-2004) foi fundador e editor-chefe da revista sueca Expo, que denuncia grupos neofascistas e racistas. Especialista na atuação das organizações de extrema direita em seu país, é coautor de Extremhögern, livro no qual põe o assunto em evidência. Morreu em sua casa, vítima de um ataque cardíaco, pouco depois de ter entregado os originais dos romances que compõem a trilogia Millennium.


FICHA TÉCNICA 

Título: A Menina que Brincava com Fogo (Flickan som lekte med elden)

Autor: Stieg Larsson

ISBN: 8535914226

Editora: Companhia das Letras

Ano: 2009

Número de páginas: 611

Área principal: Romance, suspense, policial.

Classificação:  5 estrelas

Sem Título-2

Anúncios

15 comentários em “[Resenha] Millenium, A Menina que Brincava com Fogo – Stieg Larsson

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s